Comunidade organiza paralização periódica

Manifesto pela mudança do Posto Fiscal de Pontal do Araguaia – MT para Barra do Garças-MT, teve hoje, 05 de junho, seu segundo dia de mobilização sobre a ponte do Rio Araguaia em Aragarças – GO.

por Dandara Morais

Aragarças, GO – O movimento Trânsito Fluente começou com a união de doze comerciantes, que vivendo a dificuldade do congestionamento diário sobre as pontes do rio Araguaia e Garças, se organizaram e junto a Câmara de Vereadores da cidade de Aragarças conseguiram o espaço e apoio para uma manifestação pacífica em prol da comunidade.

Irene Aparecida Batista, 38 anos, comerciante, é uma das organizadoras do manifesto relata que o movimento teve inicio porque o posto fiscal de Barra do Garças-MT já está pronto “o posto fiscal de Mato Grosso esta pronto há mais ou menos seis meses, e por um mistério o governo não libera”, expõe.

Irene Aparecida comenta também que a aceitação foi positiva, tanto por parte da comunidade local quanto por parte dos caminhoneiros “temos o apoio e aceitação de aproximadamente 80% da comunidade, já aderiram ao movimento os vereadores dos municípios circunvizinhos, os Sindicatos do Comercio, Moto Taxis, Transporte Rodoviário e a Câmara dos Dirigentes Lojistas” fala.

Mulheres à frente do movimento Trânsito Fluente

A população está incomodada há muito tempo com está situação e até que enfim alguém resolveu fazer algo,  Natan Leite Carvalho, 33 anos, pensionista diz que a paralisação deveria ser total “tem que parar tudo, por pelo menos 24 horas, ninguém aguenta mais estas carretas no meio da cidade” diz.

Ana Maria Brum, 50 anos, comerciante em Aragarças-GO acrescenta que a mobilização deve continuar até que se tenha um posicionamento favorável do Governo do Estado de Mato Grosso “vamos permanecer com o movimento até conseguir uma posição positiva do governo de Mato Grosso” relata.

Na próxima sexta-feira, 07 de junho, terá uma nova reunião, desta vez para discutir a paralisação do Posto Fiscal de Pontal do Araguaia – MT.

 

One thought on “Comunidade organiza paralização periódica

  1. Sckarleth Martins

    Se o poder público não faz nada, é preciso que a sociedade civil se apresente e reivindique melhorias. Apoio a iniciativa da população, já é mais que urgente!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *