Divulgação dos resultados dos impactos socioambientais da produção de agrocombustíveis em MT

O Fórum Mato-Grossense de Meio Ambiente e Desenvolvimento – FORMAD realizará três seminários de divulgação da pesquisa sobre a monocultura da soja e da cana-de-açúcar em Mato Grosso

Os altos preços do petróleo e a crescente preocupação com as mudanças climáticas vêm provocando a busca por combustíveis renováveis. No caso dos motores automotivos, prevalece no Brasil a opção pelo do etanol produzido a partir da cana-de-açúcar e do biodiesel, onde o óleo de soja é a principal matéria-prima utilizada.

Ao longo de 2011 e 2013, o Formad, com o Apoio da Oxfam Novib da Holanda, desenvolveu o projeto “Avaliação dos impactos socioambientais dos agrocombustíveis em Mato Grosso (cana-de-açucar e soja)”. O objetivo central do projeto é avaliar o contexto do modelo de produção agrícola de Mato Grosso, baseado na agricultura de monocultivo intensivo, com desmatamento sem fronteiras e ilegais, sementes geneticamente modificadas (transgênicos) e o uso indiscriminado de agrotóxicos e adubos químicos.

Os dois eixos centrais de atuação do projeto são:

• Avaliar os impactos socioambientais gerados na produção dos agrocombustíveis a partir da realização de pesquisas de campo nos municípios de Barra do Bugres (Cana-de-Açúcar) e Lucas do Rio Verde (Soja);

• Fortalecer a sociedade civil através de capacitação, por meio de encontros regionais, visando a organização para o enfrentamento dos impactos sofridos, além da apresentação de propostas alternativas em contraponto a este modelo produtivo e impactante.

Depois de concluídos os estudos de campo e as oficinas de validação das informações coletadas foram definidos os principais problemas decorrentes da produção de soja e cana-de-açúcar nas respectivas regiões. Chegou a hora de:

(1) Apresentar e divulgar os resultados da pesquisa em forma de livro, caderno e documentário audiovisual:

  • Quem é beneficiado com este modelo de produção e quem é prejudicado?
  • Que impactos tem causado para a agricultura familiar camponesa, os povos tradicionais indígenas e quilombolas?
  • Que consequências traz em relação ao custo de vida, à segurança alimentar e à saúde da população rural e urbana?
  • Como isso afeta o meio ambiente: a vida na terra e das águas, os rios, poços e mananciais, a atmosfera e a biodiversidade?

(2) Avaliar as estratégias governamentais em suas matrizes energéticas:

  • Os agrocombustíveis são solução energética?
  • Quais são as estratégias governamentais em relação à produção e consumo de energia?

(3) Debater políticas públicas de controle social e estratégias de enfrentamento dos impactos socioambientais impingidos por este modelo de produção:

  • Que medidas imediatas precisam ser tomadas?
  • Como garantir um monitoramento dos reais impactos negativos provocados por este modelo de produção?

(4) Reinventar o modelo de produção que respeite e integre o ser humano ao ambiente e à biodiversidade:

  • Que matrizes energéticas contrapor a este modelo de grandes monoculturas?
  • Como fortalecer a agricultura familiar camponesa agroecológica e as comunidades tradicionais indígenas e quilombolas em seus projetos de bem viver?

Programação dos seminários

19 e 20 de junho de 2013 em Barra do Bugres – MT

Local: Paróquia Santa Cruz.

Início dia 19/06, às 8h e término dia 20/06 com o almoço.

Programação:

Dia 19/06: Apresentação dos dados do estudo de caso: Sérgio Schlesinger; Políticas públicas de compensação e de garantia dos direitos das pessoas e comunidades impactadas;

Dia 20/06: Estratégias de fortalecimento da agricultura familiar camponesa, comunidades tradicionais indígenas e quilombolas, e pescadores.

24 e 25 de junho de 2013 em Sinop – MT

Local: Auditório da Unemat.

Inscrições: clique aqui

Início dia 24, às 8h e 30min e término dia 25, às 17h.

Programação:

Dia 24/06, pela manhã, apresentação dos dados da pesquisa realizada pelo Formad sobre “Avaliação dos impactos socioambientais da produção dos agrocombustíveis (soja)” no município de Lucas de Rio Verde e entorno; pela tarde, debate de temas regionais e elaboração de um documento com os principais aspectos e problemas apontados pela pesquisa, a ser em seguida entregue em mãos aos órgãos públicos presentes.

Dia 25/06, espaços de diálogo (mesas) com os órgãos públicos: MDA/Incra, MMA/Ibama, Embrapa, Sema, Consea, Conab e representações locais; respostas e encaminhamentos aos problemas apresentados no documento.

27 e 28 de junho de 2013 em Cuiabá – MT

Local: Auditório do Instituto de Saúde Coletiva – ISC.

Inscrições: Clique aqui

Programação:

Dia 27: Apresentação dos dados do estudo de caso, seguido de debate: Sérgio Schlesinger; Os agrocombustíveis e as estratégias governamentais de produção e consumo de energia – Prof. Dorival Gonçalves Júnior – UFMT

Dia 28: Conclusão do projeto – desdobramentos e plano do Formad.

Inscrições podem ser realizadas pelo site do Formad ou entre em contato.

PARA MAIS INFORMAÇÕES E CONTATOS

Secretaria Executiva do FORMAD

Endereço: Rua Carlos Gomes, nº20, Bairro Aráes, 78005-269 Cuiabá-MT

E-mail: secretaria.formad@gmail.com

Telefone: +55(65) 3359-7640 – +55(65) 3359-7641

 

Fonte: Formad

Imagens: superior por Jorge Araújo/Folhapress e inferior por Caio B. O. B./Formad

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *