SemiEdu 2013, O Araguaia no debate

Diálogos no Araguaia

 

I Roda de Diálogos sobre a

 

EDUCAÇÃO NO ARAGUAIA: CAMINHO DE LUTA E RESISTÊNCIA

Local: Auditório 68 do Instituto de Educação-IE

 

Coordenadoras: Márcia Ferreira Santos e Solange Pereira da Silva

 

Na região Nordeste de Mato Grosso, a partir de 1970, desenvolveu-se um vigoroso movimento de educação cujos resultados repercutiram em nível estadual e nacional.

Tendo como referência o pensamento de Paulo Freire e apoiado pela Prelazia de São Félix do Araguaia, o movimento educacional abrangeu populações indígenas, ribeirinhos, camponeses e núcleos urbanos, constituindo-se em um forte esteio da luta travada por estes segmentos sociais para garantir a permanência na terra em contraposição ao latifúndio avassalador que se instalava na região.

O propósito desta Roda de Diálogos, promovida em parceria entre o Centro Memória Viva/CMV-MT, o Grupo de Pesquisa em Movimentos Sociais e Educação/GPMSE e educadores e educadoras da Região Araguaia, é apresentar a história deste movimento e seus resultados por meio de pessoas que dele participaram, o que certamente contribuirá para que a memória da Educação no Araguaia permaneça viva e seja propulsora de outros movimentos.

 

 

PROGRAMAÇÃO

 

DIA 10/09/2013 | TERÇA-FEIRA | 9h-12h

1- A Experiência do Ginásio Estadual do Araguaia – GEA – José Raimundo Ribeiro da Silva e Hélio de Sousa Reis

2- A educação e resistência no Araguaia. Elmo José Amador Malagodi e Paulo César Moreira Santos

3- A educação escolar indígena e a luta do povo Apyãwa (Tapirapé) pela terra. Eunice Dias de Paula

4- As Escolas multisseriadas como sustentação do povo na terra. Antonio Eliseo Gobatto

5- Projeto Inajá, uma experiência inovadora na formação de professores indígenas e do campo. Adailton Alves da Silva e Osanette de Medeiros

DIA 12/09/2013 | QUINTA-FEIRA | 9h-12h

1- Raízes do Araguaia: Licenciaturas plenas – O “projeto parceladas”. Judite Gonçalves de Albuquerque

2- Mostra Regional de Educação do Araguaia: o Araguaia tem e faz Escola. Maria de Lourdes Jorge de Sousa

3- A CPT e a educação agroecológica como instrumento para permanência dos camponeses no Araguaia. Cláudia Alves Araújo

4- Movimento Cultural do Araguaia – o simbólico como instrumentos de luta. Fernanda de Moraes Sarmento Macruz e Rodolfo Alexandre Cascão Inácio

5- Como o rio que corre para o mar: Diálogos e Práticas Educacionais possíveis – Severiá Idioriê

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *