Araguaia perde pesquisadora em agroecologia

A agrônoma Vanessa Theodoro faleceu após acidente de carro no fim de ano passado

Por Maíra Ribeiro

Na véspera de natal, a professora doutora Vanessa Cristina de Almeida Theodoro sofreu um acidente de trânsito que lhe provocou traumatismo craniano quando viajava para passar as festas de fim de ano com a família em Minas Gerais. No acidente, teve braços e pernas fraturados e no dia 1º de janeiro deste ano, não resistiu e faleceu. O velório e enterro ocorreram em Pará de Minas/MG, cidade natal da professora.

Desde 2010, Vanessa era professora adjunta do departamento de Agronomia do campus de Nova Xavantina/MT da Universidade do Estado de Mato Grosso – Unemat, e em 2013, tornou-se coordenadora deste curso. Ela também participava de dois programas de pós-graduação da Unemat. A professora doutora dedicou seus estudos à produção orgânica e ao processo de transição agroecológica da produção, sendo autora da primeira dissertação de mestrado defendida em Cafeicultura Orgânica no Brasil.

Vanessa Theodoro

Professora Vanessa Theodoro

Todos que conheceram Vanessa não negam: ela era um mulher de presença. Com voz marcante, carisma e jeito agitado, sempre falava da importância de ampliar a formação dos seus estudantes de agronomia para além de atender ao mercado do agronegócio. Não é uma tarefa fácil quando o campus está situado no interior de Mato Grosso, o maior produtor de grãos do Brasil, e todas as referências, inclusive da grade curricular, vão na direção contrária. Mas Vanessa Theodoro não se abalava em tentar ao menos plantar uma sementinha de questionamento em seus alunos, como ela mesma dizia. Na universidade, ela criou o Núcleo de Extensão em Sustentabilidade (NESUS) visando organizar debates, exibição de filmes e grupos de leitura no intuito de desconstruir preconceitos e propor novos pontos de vistas. Nesse sentido, ela mantinha um sítio na internet sobre agroecologia, com artigo e documentos (acessível aqui). Ela também coordenava o Trote Solidário neste campus, aumentando a interação da universidade e seus novos estudantes com a comunidade local, através da coleta e doação de alimentos a entidades da cidade de Nova Xavantina.

Foi através do diálogo com o Instituto Socioambiental – ISA, em Canarana/MT que em 2013, iniciou o projeto de pesquisa “Qualidade das sementes florestais provenientes da Rede de Sementes do Xingu”, na sua coordenação. O projeto tem o objetivo de diagnosticar a cadeia produtiva da Rede de Sementes do Xingu, desde a coleta até a comercialização das sementes florestais. A pesquisa consiste na análise de vigor e viabilidade de sementes nativas provenientes dos núcleos de coletores, bem como estudar a eficácia de preparados homeopáticos na germinação dessas sementes. As entidades da Articulação Xingu Araguaia – AXA participam da Rede de Sementes do Xingu no âmbito da Campanha Y Ikatu Xingu, que congrega ainda camponeses, indígenas, entidades, pesquisadores, prefeituras e fazendeiros da região para promover a recuperação e proteção das nascentes e cabeceiras do Rio Xingu.

A Unemat lamentou em nota a perda da grande profissional e se solidarizou com familiares e amigos.

Fonte: Comunicação AXA

Imagem: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *