Branco Barros lança música que homenageia Dom Pedro Casaldáliga

A música “Pedro”, escrita por Antônio Miranda e musicada por Branco Barros, homenageia o bispo emérito da Prelazia de São Félix do Araguaia, grande lutador pela justiça social na região do Araguaia, que completou 86 anos.

Por Lilian Brandt

Branco Barros chegou em São Félix do Araguaia, Mato Grosso, no início dos anos 80. O artista veio tocar em um evento de carnaval e se apaixonou pelo lugar e pelas pessoas. “Fiquei de vez”, diz o cantor, “na época já criava minhas próprias canções, os temas sempre abordando meio ambiente – assunto não muito relevante na época – causas sociais e políticas”.

Vivendo aqui, Branco desenvolveu parcerias importantes com a Ansa – Associação de Educação e Assistência Social Nossa Senhora da Assunção, com a Pastoral da Criança e com o Ministério da Cultura. O artista estreitou seus laços com a Prelazia de São Félix do Araguaia através do Padre Paulo.

Nesta semana Branco divulgou a canção Pedro, que homenageia o bispo emérito da Prelazia de São Félix do Araguaia. A canção é de autoria de Antônio Miranda, atual secretário de Meio Ambiente e Turismo de São Félix do Araguaia, cunhado de Branco, que por sua vez, musicou a canção.

Pedro, uma inspiração

bispoPedroCasaldaliga-400x255

Esta não é a primeira vez que Pedro inspira a arte de Branco. “O meu primeiro CD Awyre tem uma canção, Terra Prometida, também dedicada a ele. Fiz um show no Sesc Arsenal Cuiabá e Rondonópolis onde o homenageamos”.

A admiração de Branco por Pedro se torna visível ao vê-lo cantar Pedro, “o guerreiro que peitou os latifúndios, defende posseiros e indígenas”, define. “Eu o admiro muito! Como religioso, sinto uma paz, uma força! É um exemplo sua história de luta, convivência com os humildes e simplicidade”.

Dom Pedro Casaldáliga nasceu na Espanha, mas vive no Brasil desde 1968. Após dois anos no País foi nomeado administrador apostólico da Prelazia de São Félix do Araguaia. Em 1971, o Papa Paulo VI o nomeou bispo prelado de São Félix do Araguaia, sendo atualmente bispo emérito.

Reconhecido mundialmente, Dom Pedro Casaldáliga é um ícone da luta pela justiça social. Mas aqui no Araguaia ele é Pedro, simples e sem formalidades. Aquele que “chegou de mansinho/ Corpo franzino/ Passos firmes no chão / O caminho a seguir já sabia/ Trazia guardado no coração”, como diz a canção Pedro.

Nestes 44 anos em que vive na região do Araguaia, Pedro tem dedicado sua vida às suas causas, que após tanto trabalho, ainda são as mesmas: a redução das desigualdades sociais, o fim do trabalho escravo, o fim da discriminação de gênero e raça, o respeito às legislações que protegem o meio ambiente e os povos que dele dependem para sobreviver, o respeito aos povos indígenas e sua dinâmica cultural e ambiental, uma Igreja mais solidária e afinada com os ensinamentos de Jesus Cristo, enfim, uma sociedade fundada no amor.

No dia 16 de fevereiro Pedro completou 86 anos. Apesar de tantas conquistas, ainda hoje Pedro é ameaçado de morte. Um pensamento tão revolucionário não poderia mesmo ser unânime. Se todos amassem Pedro, a vida e a história de Pedro não teria sentido ou a paz já teria existido.

Talento e compromisso social

Assim com Pedro, Branco tem muitas facetas: canta as belezas do Araguaia e a riqueza das culturas indígenas, mas não deixa de ter uma visão crítica da política e desigualdades sociais.

Viver de arte não é fácil em lugar nenhum, e em São Félix do Araguaia não poderia ser diferente. Foi por essa dificuldade que Branco colocou o pé na estrada, e há quase trinta anos transita entre Cuiabá, Araguaia e Tocantins. Atualmente o cantor vive em Cuiabá, onde trabalha à noite.

Mas nem só de apresentações se faz um artista comprometido. Branco tem se dedicado também a ensinar o que sabe, e já pode ver os frutos de seu trabalho. “Nos últimos dez anos parti para o voluntariado ensinei muitas crianças. Hoje muitos deles já atuam como profissionais de música”, diz satisfeito.

A caminhada de Branco já rendeu também a gravação de 2 CDs, Awyre e Awyre 2. Agora Branco está trabalhando em um novo trabalho, o DVD Eclético. O cantor afirma que sua trajetória está muito ligada aos festivais de música, “por conta da dificuldade que a música alternativa encontra. Nas rádios e na TV hoje só tem músicas descartáveis. Como não é o nosso caso, temos que apelar para outros meios de divulgação, como a Internet”. Aos poucos, Branco tem divulgado na rede parte do DVD Eclético, que deverá ser lançado no final de março em Cuiabá e nas cidades da região do Araguaia.

E para quem quer desde já matar um pouco a saudade deste artista, ouça a música aqui e inspire-se também na vida de Pedro.

Foto: Internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *