Começa mês de vacinação dos povos indígenas

Serão oferecidas 249 mil doses contra diversas doenças, como hepatite B, paralisia infantil, gripe, tétano, coqueluche, meningite

O Ministério da Saúde deu início, nesta quarta-feira (30), ao Mês de Vacinação dos Povos Indígenas 2014. A ação se estenderá até o dia 29 de maio e tem como objetivo reforçar a imunização dessas populações, alcançando aldeias, áreas de difícil acesso e com baixa cobertura vacinal. Serão oferecidas 249 mil doses contra diversas doenças, como hepatite B, paralisia infantil, difteria, tétano, coqueluche, meningite, gripe, caxumba, febre amarela, entre outras.

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, destaca a importância do deslocamento das equipes de saúde até as reservas para alcançar populações que vivem de forma dispersa em aldeias de difícil acesso. “Este é um mês intensivo para aumentar a cobertura de todo o calendário vacinal e garantir a imunização dos povos indígenas, em especial os que estão localizados em áreas longínquas. A medida ajuda na prevenção de doenças que podem ser evitadas, contribuindo para a promoção da saúde desses povos”, explica Chioro.

Na abertura da campanha no Polo-Base do município de Pesqueira (PE), o secretário Especial de Saúde Indígena, Antônio Alves, fez um chamado para que a população indígena participe da ação. “A imunização é um ato de amor. Eu convido a todos para se vacinarem, principalmente os pais, para que levem suas crianças e as protejam. Quanto menos doenças, melhor a vida da gente”, ressaltou o secretário.

As vacinas serão oferecidas para a população indígena aldeada dos 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs) existentes em 18 estados. A meta é atingir 180 mil pessoas de 305 etnias em 1.144 aldeias. O foco da vacinação será dado aos grupos mais vulneráveis: crianças menores de cinco anos, mulheres em idade fértil e idosos. O Ministério da Saúde está investindo mais de R$ 5 milhões entre aquisição de insumos e imunobiológicos, logística e transporte para a ação.

Para garantir a multivacinação, a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) realizará uma ampla operação, com o envolvimento de 3,7 mil agentes indígenas de saúde e de saneamento. A logística dessa vacinação é diferenciada, levando em consideração as especificidades dessa população e as necessidades de transporte das equipes e insumos até as aldeias, seja por carro, barco, helicóptero ou avião.

O Mês de Vacinação dos Povos Indígenas teve início em 2005 e faz parte da Semana de Vacinação nas Américas, liderada pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). No Brasil, a ação acontece no mesmo período da campanha de vacinação contra a gripe, realizada nos meses de abril e maio. Na mobilização do ano passado, foram aplicadas 178.076 doses de vacina em 134.931 indígenas residentes em 1.074 aldeias. Com os esforços das equipes de saúde indígena, a campanha de vacinação contra gripe de 2013 imunizou 81,80% da população acima de seis meses em 34 DSEIs.

Inauguração de unidades de saúde

Nesta quinta-feira (1º), o secretário Antônio Alves participará da inauguração de duas unidades de saúde nas aldeias Brejinho e Passagem, em Pesqueira (PE). O Ministério da Saúde investiu R$ 356 mil na construção dos postos, que serão entregues devidamente equipados.

No total, quase 1.300 índios da etnia Xukuru de Ororubá serão beneficiados com as unidades. Na aldeia Brejinho e região, serão 780 indígenas com assistência em saúde garantida. Já a aldeia de Passagem, que conta hoje com uma população de aproximadamente 380 habitantes, também atenderá indígenas de outras aldeias próximas, totalizando mais de 500 beneficiados.

O atendimento nas unidades é feito por equipes multidisciplinares compostas por médico, enfermeiro, odontólogo, técnicos de enfermagem, auxiliar de saúde bucal, agente indígena de saúde e agente indígena de saneamento. Os postos têm capacidade de atender 40 pacientes por dia, nos mais diversos procedimentos de atenção básica (atendimento médico, de enfermagem, imunização, vigilância alimentar e nutricional, pré-natal, acompanhamento e desenvolvimento da criança e ações de prevenção, promoção e recuperação de pacientes). Além disso, as unidades contam com atividades de prevenção em Saúde Bucal, como escovação supervisionada, aplicação de flúor, palestras educativas e atendimentos clínicos de odontologia.

DSEIs

Parte da estrutura da Sesai e do Ministério da Saúde, os Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs) são unidades gestoras descentralizadas do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena (SasiSUS). Os Distritos respondem regionalmente pela execução de ações de atenção à saúde nas aldeias, de saneamento ambiental e edificações de saúde em áreas indígenas.

Eles estão divididos por critérios territoriais, tendo como base a ocupação geográfica das comunidades indígenas, muitas vezes abrangendo mais de um município e, em alguns casos, mais de um estado. Cada distrito abriga um grupo de Polos-Base, unidades de apoio aos DSEIs e às Equipes Multidisciplinares de Saúde Indígena (EMSI) que atuam nas aldeias. Ao todo, são 34 DSEIs e 360 Polos-Base responsáveis por prestar atendimento a 665 mil indígenas distribuídos em 5.500 aldeias e pertencentes a 305 etnias.

Fonte: http://www.brasil.gov.br/saude/2014/04/comeca-mes-de-vacinacao-dos-povos-indigenas

imagem:http://pgn9.com.br/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *