Uma feira, uma festa. Economia solidária e valorização socioambiental em São Félix do Araguaia

Docinho de baru, mousse de murici, licor de flor de pequi e óleo de babaçu, delícias que não se vê sempre por aí. Artesanatos feitos a partir de produtos do cerrado, artesanatos indígenas, mudas de diversas espécies, remédios naturais e produtos fresquinhos da agricultura familiar, uma diversidade sem fim. E para completar, muita animação! Assim foi a II Mostra Socioambiental do Araguaia e I Feira de Economia Solidária, no dia 14 de junho na Feira Municipal de São Félix do Araguaia (MT).

Por Lilian Brandt Calçavara

IMG_0313Foram 73 expositores, de 06 municípios da região do Araguaia: São Félix do Araguaia, Bom Jesus do Araguaia, Novo Santo Antônio, Serra Nova Dourada, Canabrava do Norte e Porto Alegre do Norte. Participaram ainda indígenas das etnias Xavante, de Pimentel Barbosa e de Marãiwatsédé, e Karajá, da Ilha do Bananal e de São Domingos.

O grupo da terceira idade surpreendeu a todos com a eloquente atuação de um casamento caipira, seguido por uma quadrilha animada para ninguém botar defeito. As feirantes também mostraram talento num teatro que contou os 14 anos de história da Feira Municipal de São Félix do Araguaia. Vários artistas da região cantaram e tocaram, e assim a feira foi virando uma festa ao ritmo de muito forró.

O evento é realizado pela ANSA (Associação de Educação e Assistência Social Nossa Senhora da Assunção) e OECA (Organização Ecossocial do Araguaia), em parceria com as entidades sociais que formam a Articulação Xingu Araguaia (AXA) e as associações de agricultores familiares dos assentamentos da região. Este ano o evento também contou com a parceria fundamental da Prefeitura de São Félix do Araguaia.

Cerca de 70% dos expositores que participaram do evento são clientes do microcrédito da OECA. Denilza Oliveira (Dudi), coordenadora da OECA, disse: “aqui em São Félix não tem ponto de venda, então a feira mostra para a comunidade local e regional os produtos deles.” Ela acredita que o evento tem a função de valorizar a Feira Municipal e afirmar sua ocupação por pequenos produtores e artesãos. “As pessoas precisam saber que podem usar esse espaço”, diz.

“Foi preciso muito trabalho e muitas reuniões, mas cada pequena conquista era comemorada por todos”, disse Vânia Costa Aguiar, coordenadora da ANSA. Ela explica que o esse evento nasceu da vontade da equipe, “é muito gratificante quando cada um contribui com sua melhor aptidão e todos fazem juntos. Essas pessoas estão no espírito de servir, e o fazem com carinho e alegria. O espírito de equipe prevalece”.

Se a comunidade gostou? EstimIMG_0532a-se que cerca de 1000 pessoas passaram pelo local.  “As clientes do microcrédito venderam tudo”, afirma Dudi. Após o evento, ficou a deliciosa sensação de missão cumprida e de fazer a diferença na região. Ficou a certeza que a Mostra e a Feira são iniciativas que vieram para ficar e o evento do ano que vem promete ser melhor!

 

Imagens: Lilian Brandt Calçavara

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *