Malefícios de queimadas a saúde e meio ambiente são discutidos em exposição de Pulmão inflável em Confresa

A cultura do fogo justamente no período mais seco do ano é tema de uma exposição que começou ontem e termina amanhã na cidade de Confresa. Um pulmão itinerante, em material inflável com as cavidades internas que se transformam em sala para palestras, foi montado para permitir aos  visitantes vislumbrar como o órgão do corpo humano funciona e reage as ações da fumaça.

Por: Telma Aguiar

Lá dentro uma equipe da Secretaria Estadual de Meio Ambiente – SEMA, do ministério público estadual e equipes de saúde do município, dentre outros parceiros,  buscam conscientizar a população em diversos níveis das ações humanas, deste a queimada de lixo doméstico, tabagismo, até queimadas urbanas que saem do controle.

Pulmões humanos em diferente estágios podem ser visualizados na exposição

Pulmões humanos em diferente estágios podem ser visualizados na exposição

Neidy é servidora da Sema e explica que há uma série de ações que são de competência de cada uma das instâncias de poder constituídas na luta pela qualidade de vida decorrente do respeito ao período proibitivo de queimadas que em Mato Grosso compreende o período de 15 de Julho a 15 de Setembro. Cabe à prefeitura, por exemplo, designar minimamente o que é ou não permitido ao cidadão, fiscalizar e até entrar com medidas punitivas. Já ao ministério público, coibir ações, bem como à população cabe a tarefa de dialogar e buscar soluções para os problemas cotidianos.

Cultura do fogo e as consequências nos moradores

A população da cidade de Confresa é quase na totalidade formada por pessoas de origem rural, que tradicionalmente usaram o fogo para limpeza de áreas a serem cultivadas, extermínio de pragas, dentre vários outros usos. Deste hábito deriva a naturalidade de colocar fogo em folhas nos quintais e limpar lotes baldios justamente no período mais quento e de menor umidade relativa do ar.

As reclamações sobre a qualidade do ar são uma constante na cidade que não é completamente asfaltada e convive com a fumaça durante esse período seco.

Já as ações do poder público municipal são poucas e chegam a ser omissas porque a pesar de dizer que é proibido por fogo em lote baldio pouco fiscaliza ou pune, seja com multas, seja com um Imposto Territorial Urbano – IPTU mais alto para lotes sujos e abandonados, assim a cidade cresce cheia de loteamentos desregrados pela falta de leis de regulamentação no setor.

O IPTU é cobrado, até hoje, de acordo com o valor do imóvel. Ou seja, quem tem uma casa construída normalmente paga um imposto mais alto que um lote baldio, essa prática quase sempre culmina em lotes com lixo amontoado que em épocas de cheia ajudam a proliferação da dengue e na seca das queimadas.

Segundo o Secretário de Planejamento, José Pereira Cordão, o IPTU progressivo tende a será implantado na cidade mas, não deu certeza de quando isso irá acontecer.  Já a “lei de Parcelamento do Solo” será votada possivelmente ainda hoje (08/08). A lei irá consolidar diretrizes para a ocupação da área urbana e até dará subsídios para a regulamentação fundiária, conforme informou o secretário.

Moradores de bairros novos como o residencial Santa Luzia, por exemplo, dizem que há no bairro concentração de lotes vazios e que os donos desses imóveis deixam o mato crescer demasiadamente na época das chuvas e ateiam fogo na seca que é uma forma de limpeza mais barata. ” é um desrespeito com quem vive aqui, já não basta a poeira e ainda temos de aguentar a fumaça, é pra acabar com a nossa respiração mesmo”, diz Walquiria Soares, moradora do bairro que ainda não tem asfalto ou esgoto.

Já Gisele Cristina, ex moradora do bairro, se mudou para outra região do estado no início deste ano, ela disse que um dos fatores decisivos foram o desconforto gerado nela e na família como resultado do tempo seco, fumaça e poeira: ” ainda me lembro o dia que acordei de madrugada ouvindo os estralos do mato seco, na hora pensei que minha casa estava pegando fogo.”

Neidy, Ana e Jairo recebem os visitantes com informações

Neidy, Ana e Jairo recebem os visitantes com informações

A ação do Ministério Público do Trabalho

O pulmão itinerante faz parte de um conjunto de ações da justiça do trabalho de Confresa. O projeto chamado Nova Geração tem como objetivo trazer à tona questões de importância para a população e provocar melhorias no convívio social.

Serviço:  

Onde? Estádio Camilão, no centro da cidade.

Quando? até amanhã, seguintes horários:

Matutino: 8h00 e 11h30
Vespertino: 13h30 e 17h00
Noturno: 18h00 e 19h30

Entrada franca

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *