Filme sobre Pedro Casaldáliga será lançado nessa terça em São Félix do Araguaia

Descalço sobre a terra vermelha  narra a atuação do bispo Pedro Casaldáliga e da Prelazia de São Félix do Araguaia.

Escrito por: Rizza Guarani Kaiowá*

O filme será lançado no Brasil, em São Félix do Araguaia, no dia 2 de dezembro às 18h. Além da estreia serão realizadas sessões nos dias 3, 4 e 5. As exibições serão gratuitas, mas é necessário retirar o ingresso na Associação de Educação e Assistência Social Nossa Senhora da Assunção (ANSA).

O filme é uma co-produção entre Espanha e Brasil. As gravações aconteceram na Itália, Espanha e em 2012 a equipe esteve em São Félix do Araguaia e Luciara realizando as filmagens. A produção envolveu atores espanhóis e brasileiros e a população local que participou como figurante.

Também será exibida uma minissérie de três capítulos na TV Brasil durante o mês de dezembro.  A minissérie já foi exibida na TV3 da Catalunha e ganhou prêmios em diferentes festivais da Europa. O programa está disponível no site da TV3  em catalão.

A luta de Pedro

Descalço Sobre a Terra Vermelha, é baseado no livro homônimo de Franscisco Escribano sobre a vida do bispo. Natural da Catalunha, Espanha, Pedro se mudou para São Félix em 1978, ainda padre, em plena ditadura militar.

Em 1971, no mesmo dia da consagração como bispo da Prelazia de São Félix do Araguaia, Dom Pedro Casaldáliga distribuía sua primeira carta pastoral: Uma igreja da Amazônia em conflito com o latifúndio e a marginalização social. 123 páginas que descrevem a região da Prelazia de São Félix do Araguaia e os principais conflitos provocados pelas grandes empresas¹. Pedro denunciou o trabalho escravo que era submetidos os peões nas fazendas, a violência do latifúndio contra os posseiros, o descaso do estado com os povos da periferia da Amazônia e o extermínio das populações indígenas.

Pedro Casaldáliga, em homenagem e memória aos homens e mulheres espalhados pela América Latina, cujas mortes matadas foram resultado da violência e opressão contra aqueles que clamam por justiça, ergueu o Santuário dos Mártires, em Ribeirão Cascalheira, MT. Nesse lugar  o padre João Bosco Burnier, na década de 70, foi morto por soldados que acreditavam que João era Pedro.

Pedro, hoje com 86 anos continua vivendo em São Félix do Araguaia. Continua defendendo suas causas e por escolher ficar do lado dos mais fracos sofreu inúmeras ameaças,  mas nunca se calou. Uma de suas frases mais conhecidas revelam a essência de sua missão: “Minhas causas valem mais que minha vida”.

 

Local para retirar os ingressos em São Félix do Araguaia

Associação de Educação e Assistência Social Nossa Senhora da Assunção Av. José Fragelli, 1050 Vila Nova, São Félix do Araguaia – MT. Tel: (66) 3522.1419

Horário de exibição da minissérie na TV Brasil

1º Capítulo: Sábado – 13/12, às 21h30

2º Capítulo: Sábado – 20/12, às 21h30

3° Capítulo: Sábado – 27/12, às 21h30

Imagem: Pedro prega na igreja de São Félix do Araguaia/ Arquivo da Prelazia de São Félix do Araguaia

Fonte: http://www.axa.org.br/xingu-araguaia/ 1971 – Ordenamento episcopal de Pedro Casaldáliga e lançamento da carta pastoral “Uma igreja em conflito com o latifúndio e a marginalização social”.

*Solidariedade ao povo Guarani Kaiowá que está sendo exterminado em Mato Grosso do Sul.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *