Joinha e Beleza: cerrado ressurge com ajuda de mãos amigas

A frente desta narrativa, a Associação Terra Viva de Agricultura Alternativa e Educação Ambienta (ATV) e a Comissão Pastoral da Terra (CPT),  discutem incansavelmente e demonstram com seus experimentos de agroecologia como é possível mudar a relação homem/natureza.

Por Dandara Morais/AXA

 

DSC_0469

Chácara Joinha (2014): Flor do Muricizeiro, planta nativa do cerrado.

Em 12 anos de história e ação vemos a transformação da natureza. Com o objetivo de propor um caminho diferenciado para agricultura familiar, em contraposição à monocultura e à agropecuária empresarial presentes na região, ATV e CPT tomaram a dianteira e começaram seus trabalhos em duas áreas experimentais, as chácaras Beleza e Joinha, no município de Porto Alegre do Norte-MT.

1

Chácara Joinha: 2004, preparo do solo para plantio.

2

Chácara Joinha: 2014 cerrado de volta.

 

 

 

 

 

 

“Eu sempre uso uma fala do Pedro [Casaldáliga] ‘Fé e Teimosia’, é assim o nosso trabalho na região. Acreditamos na agricultura familiar e na produção sustentável, e levamos isso por onde a gente passa, vamos plantando árvores e idéias,” brinca Cláudia Araújo, agente da CPT.

DSC_0476

Chácara Joinha (2014): Fruto do Inharé, planta nativa do cerrado.

Valdo da Silva, presidente da ATV, conta o motivo dos nomes: “Foi uma brincadeira, como eu e Abílio [Pereira, ex-agente da CPT] sempre gostamos de falar ‘lá tá Jóia e lá tá Beleza’ para tudo, ficou Joinha e Beleza”. Claudia Araújo explica “quando decidimos transferir a sede da ATV de Cascalheira para Porto Alegre, resolvemos também vender a terra que tinha lá. Então compramos estas duas chácaras aqui.”

 

 

A chácara Beleza está localizada à beira do Rio Tapirapé. Quando a ATV adquiriu a área, era um espaço de horta urbana da Associação Nossa Senhora da Assunção (ANSA), que à época trabalhava com núcleos locais em toda região Araguaia.

’

Chácara Beleza – Ano de 2002

DSC_0347

Chácara Beleza: Plantio de Banana Nativa – Ano de 2014

 

 

 

 

 

 

 

Valdo comenta que “a intenção era fazer experimentos com um misto de plantas nativas e herbário vivo, como o Abílio gosta de chamar. Na verdade, fazemos testes para saber a adaptação e sobrevivência de espécies exóticas na região”.

A Reserva Nativa Joinha fica também dentro do município de Porto Alegre do Norte-MT. Quando compraram era uma área de pastagem degradada e com um brejo quase assoreado.  “Com o Joinha, a intenção era fazer um experimento de Safs [sistemas agroflorestais] no cerrado, introduzir a lavoura branca, como mandioca, melancia, abacaxi, até a mata voltar, um meio que conseguimos para recuperar a área” diz Valdo.

7

Chácara Joinha: Pequizeiro sozinho no pasto em 2003

8

Chácara Joinha: Pequizeiro em harmonia com outras plantas em 2014

 

 

 

 

 

 

 

Este trabalho foi construído com a ajuda de muitas mãos, uns eram daqui mesmo, outros vieram de longe, outros foram embora. Valdo recorda dos “Baianos” e dos “Novos Baianos”, casais de espanhóis que viveram o início deste processo “aqui já passou muita gente boa: Zezinho, Enágio, Abílio, Jeane, Wilmar, Cidão, Teley, Iberê, Marilene, Valdir, e tantos outros” diz ele já emocionado pelas lembranças.

São histórias de vida que se cruzaram na tentativa de construir uma história diferente na região Xingu-Araguaia. E o mais importante é que eles têm conseguido!

5

Chácara Joinha: Criação de carneiros 2003

10

Chácara Joinha: Conversando sobre o cerrado (2014)

 

 

 

 

 

 

Imagem: Dandara Morais e Arquivo ATV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *