Quem são os desmatadores?

 

Na Amazônia Legal, as grandes propriedades são responsáveis por boa parte do desmatamento. É o que conclui um estudo realizado entre 2004 e 2011.

Publicado em Revista FAPESP

O estudo, do Instituto Ambiental de Estocolmo, na Suécia,  reuniu dados de censos agropecuários e de sensoriamento remoto para identificar onde o desmatamento aconteceu na Amazônia entre 2004 e 2011, quando os índices de derrubada da floresta diminuíram (PNAS, 28 de outubro).

O estudo avaliou uma escala detalhada: os 13.303 setores censitários da região, que abrange 771 municípios. Os setores em que predominam propriedades maiores do que 500 hectares representaram a maior parte (55,6%) do desmatamento no período. Nas áreas caracterizadas por pequenas propriedades, esse valor cai para 16,3%. Como a taxa de desmatamento voltou a crescer entre 2012 e 2013, os pesquisadores avisam que é importante entender esse perfil para direcionar estratégias de combate à eliminação da floresta, que prejudica sua capacidade de armazenar carbono atmosférico e contribuir para o ciclo da água. É possível, o estudo sugere, que os grandes produtores tenham aprendido a burlar a fiscalização abrindo clareiras menores. Uma solução para fazer frente ao problema pode ser uma política de incentivos positivos, como já é praticado em uma série de iniciativas, entre elas o Programa Municípios Verdes do Pará. Esse tipo de programa também pode ajudar pequenos fazendeiros a praticar um desenvolvimento rural mais sustentável.

Imagem da capa: Greepeace

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *