Taques recebe cacique Raoni e manda levantar demarcações de terras indígenas em MT

Em pauta, o início de um diálogo importante para a busca de soluções para as principais demandas da população indígena do estado

Por Raoni Ricci

O governador Pedro Taques (PDT) recebeu nesta terça-feira (20), no Palácio Paiaguás, o cacique Raoni Metuktire e outras lideranças das etnias Xavante, Kayapó, Pareci e Mutina. A principal preocupação é com a PEC 215, que coloca nas mãos do Congresso Nacional o poder de novas demarcações de terras indígenas.

Raoni foi um dos convidados especiais da cerimônia de posse de Taques, realizada no Centro de Eventos do Pantanal no dia 01 de janeiro. O cacique roubou a cena no evento e pediu o apoio do governador para combater a proposta de emenda constitucional. No mesmo palanque estavam grandes lideranças ruralistas como o senador Jayme Campos (DEM) e o deputado federal Nilson Leitão (PSDB).

Taques não fugiu ao debate e já desencadeou ações para estudar as principais zonas de conflito entre os índios e a classe produtora. O governador solicitou à Procuradoria Geral do Estado (PGE), na segunda-feira (19), que encaminhe um ofício ao Ministério da Justiça para que o Estado tenha conhecimento de todas as formas de demarcação que existem em Mato Grosso para que tenhamos esse quadro e possamos trabalhar cada um dos casos.

As lideranças indígenas definiram quatro demandas emergenciais ligadas à infraestrutura. Um cronograma de reuniões individuais com cada etnia foi proposto pelo governador para receber as solicitações específicas de cada grupo. Os líderes destacaram a importância desse estreitamento na relação entre poder executivo e a comunidade indígena, ainda mais no início de gestão.

Representando toda a comunidade indígena do estado, o cacique Raoni Metuktire demandou a recuperação da rodovia MT-322 – antiga BR-080 – que atravessa o Parque Nacional do Xingu e faz a ligação das rodovias federais 158 e 163. O pedido também compreende a doação de nova balsa para a travessia do Rio Xingu, no ponto em que o rio corta a estrada.

Como o pedido da balsa já tinha sido feito em abril de 2013, Taques afirmou que vai levantar em que fase está essa solicitação, o que está pendente nesse processo, para então dar uma resposta concreta às lideranças. Já a demanda pela recuperação da estrada será encaminhada à Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra). “Vamos pedir para o secretário receber a comunidade lá na secretaria”, determinou o chefe do executivo.

Os líderes debateram ainda a indicação de um representante indígena para compor a Superintendência de Assuntos Indígenas, ligada à Casa Civil. Durante a reunião ficou acordado que, à medida que o governador se reunir individualmente com cada etnia, será indicado um nome por grupo e, ao final, será escolhido um representante único para toda comunidade. A preocupação no chefe do executivo é chegar a um nome que seja consenso entre os povos.

Fonte: Olhar Direto

Imagem: Rogério Florentino/Olhar Direto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *