Protagonismo das mulheres no PA Dom Pedro em São Félix do Araguaia

 

Por Liebe Lima/AXA

Colaboração de Clarice Antônia Carmo e Ana Cláudia Timóteo com imagens e acompanhamento da atividade na comunidade.

Dia 19 de setembro foi dia das mulheres que residem no PA Dom Pedro em São Félix do Araguaia se reunirem para mapear suas habilidades e se fortalecerem, para juntas, buscar alternativas para comercializar suas produções em razão das distâncias e dificuldades de transportes que elas enfrentam. Atualmente para participar da feira quinzenal em São Félix do Araguaia elas percorrem a distância de 100 Km na boléia de um caminhão, enfrentando a poeira ou a chuva e ao chegarem lá não contam com um espaço em condições básicas de higiene e segurança para pernoitarem no fim de semana sem que seus produtos sejam subtraídos.

Materiais para produção de artesanatos pelas mulheres do PA Dom Pedro – Foto: Ana Lucia Sousa

Diante desta realidade, as mulheres presentes no encontro decidiram realizar uma feira dentro do assentamento de maneira que estas dificuldades sejam superadas e a abundância e beleza da produção local possa ser compartilhada entre os moradores que passarão a divulgar seus produtos e “fazer a diferença com o que sabem fazer de melhor, respeitando os limites de cada uma”, relata Clarice.

Com atitudes elas vão mostrando a força para rebater a ausência de políticas públicas que apoiem e promovam a inserção da agricultura familiar nos mercados locais, que valorizem suas formas de produção e promova a aplicação da lei 11.947/2009 que obriga o município a aplicar no PNAE o mínimo de 30% dos recursos da merenda escolar em produtos da Agricultura Familiar. Bem como, a disponibilização de um espaço adequado para a realização da feira, viabilizando para a comunidade de São Félix do Araguaia a possibilidade de comprar produtos regionais, para além destes que chegam do CEASA de Goiânia.

Encontro de mulheres no PA Dom Pedro, São Félix do Araguaia – Foto: Ana Lucia Sousa

Neste encontro estavam presentes 14 mulheres de vários setores do assentamento e a anfitriã foi a Dona Erotildes. Quando se encontram compartilham os desafios e também se animam com os sorrisos das crianças, as comidas boas e a determinação de transformar sonhos em realidade.

Qual é o sonho?

Viver com dignidade e abundância!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *