audio

Episódio 8 – Produção diferenciada aqui

O Povo Xavante da Terra Indígena Marãiwatsédé, tem um grupo de coletoras de sementes com 90 mulheres e é o maior grupo que integra a Rede de Sementes do Xingu atualmente. Elas iniciaram as atividades a convite de Rede de do Xingu em 2011, com 16 anciãs da comunidade engajadas em coletar 30 kg de sementes nativas, florestais e frutíferas. Hoje, passados sete anos e elas já coletaram 3.281,031 Kg de sementes e geraram para a comunidade, uma renda de R$ 59.147,08.

Estas mulheres são coletoras tradicionais desde a sua ancestralidade e com esse conhecimento, realizam o trabalho de coleta e já por duas vezes, elas receberam o prémio de melhor qualidade de sementes entregues para a rede de sementes do Xingu.

Você se perguntou como elas transportam toda essa semente? Elas usam o Bakté, que é um cesto confeccionado com as folhas de buriti que as mulheres colocam nas costas, pendurados sobre a testa, para permanecerem com os braços livres enquanto realizam suas coletas e caminhadas pelo território. Nele, carregam até mesmo suas crianças recém- nascidas que ficam confortáveis em uma ambiente térmico proporcionado pela palha.

A humanidade e suas diversas formas de desenvolver tecnologias para o bem viver é uma das grandes riquezas da vida. São tradições e conhecimentos que nos identificam como diferentes povos de uma causa única: Viver bem conforme a sua visão de mundo, com respeito às diferenças que nos une.